Sínodo: Irmã Becquart à USG, “uma visão missionária para o serviço à sociedade”
25/11 Notícias da Igreja
Compartilhar

Falando na 96ª Assembleia da União dos Superiores Gerais, a subsecretária do Sínodo dos Bispos, irmã Becquart, disse que “somos chamados a viver o caminho sinodal como um percurso espiritual”: “Devemos aprender a colocar a sinodalidade em prática. O desafio da conversão sinodal da Igreja em todos os níveis é um caminho que jamais termina. Comunhão, participação e missão são as três palavras-chave. O convite, para todos, é pensarmos em nós como parte do mesmo povo e da mesma comunidade”, reiterou

Ouça a reportagem e compartilhe!

“O desafio do Sínodo é empreender um percurso centrado na escuta da Palavra de Deus. Pela primeira vez em dois mil anos, um Sínodo envolve todo o povo de Deus.” Foi o que disse esta quarta-feira, 24 de novembro, a subsecretária do Sínodo dos Bispos, irmã Nathalie Becquart, falando no primeiro dia da 96ª Assembleia da União dos Superiores Gerais (USG) em sua intervenção sobre “A sinodalidade, um caminho de conversão comunitária”.

Irmã Becquart lembrou que “a Secretaria do Sínodo está envolvendo as pessoas, a partir da base, em todos os continentes”: “A maioria das dioceses iniciou o caminho com uma celebração e organizou uma equipe de trabalho. Parece quase como o fruto do Sínodo sobre os jovens e do Sínodo sobre a Amazônia. Devemos entender que o Sínodo é o estilo da Igreja e todos estamos aprendendo a ser sinodais e a escutar o sensus fidei“.

Viver o caminho sinodal como um percurso espiritual

“A fase diocesana é fundamental porque implica escutar todos os batizados”, continuou a subsecretária: “O Papa está tentando reorganizar o primado da sinodalidade no povo de Deus. Uma maior horizontalidade deve ser adotada, passando do eu para o nós. O Sínodo é uma visão missionária para o serviço à sociedade. Não se trata de uma experiência limitada a poucos, mas aberta a todos”.

Por esta razão, concluiu a irmã Becquart, dirigindo-se aos mais de cem superiores gerais presentes, “somos chamados a viver o caminho sinodal como um percurso espiritual”: “Devemos aprender a colocar a sinodalidade em prática. O desafio da conversão sinodal da Igreja em todos os níveis é um caminho que jamais termina. Comunhão, participação e missão são as três palavras-chave. O convite, para todos, é pensarmos em nós como parte do mesmo povo e da mesma comunidade”.

Por uma Igreja sinodal: a contribuição da Vida consagrada

Aberta esta quarta-feira na Fraterna Domus de Sacrofano, a 96ª Assembleia da União dos Superiores Gerais (USG), presencial e residencial, prossegue até esta sexta-feira, 26 de novembro, tendo como tema central “Por uma Igreja sinodal: a contribuição da Vida consagrada”, detendo-se sobre o processo sinodal recentemente iniciado.

“Pareceu-nos importante refletir e partilhar juntos sobre este tema pertinente porque, nas palavras do Papa Francisco, ‘o caminho da sinodalidade é o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio’”, explicou o propósito geral da Companhia de Jesus e presidente da União dos Superiores Gerais, padre Arturo Sosa.

(com Sir)

Vatican News
Imagem capa: Vatican News